Área do Corretor

Faça seu login com as suas credenciais.

Informe seu contato

Verifique o preenchimento dos campos destacados
Sua mensagem foi enviada com sucesso.

Blog

20 de setembro de 2013

Mão de obra eleva em 3,23% custos da construção em agosto no Estado

O custo da mão de obra dos trabalhadores da construção civil foi o principal componente para alta do Custo Unitário Básico por Metro Quadrado (CUB/m2) em agosto/2013. Esse item inflacionou o CUB em 3,23% ante 0,31% de julho. O levantamento divulgado nesta sexta-feira (6) pelo Sindicato das Indústrias da Construção do Estado de Mato Grosso (Sinduscon/MT) mostrou ainda que o metro quadro da construção subiu de 953,22 (julho/2013) passou para 984,02 (agosto/2013). O CUB é um índice que contribui para aferir a inflação no setor da construção.

O índice acumulado de 2013 (janeiro a agosto) registra alta de 4,66% e nos últimos 12 meses elevação de 5,31% (julho/2012 a agosto/2013). Para o cálculo do CUB são considerados os preços praticados pelo mercado para insumos, mão de obra, despesas administrativas e equipamentos. Na lista de 29 itens que incidem sobre o cálculo do CUB, metade inflacionou enquanto a outra metade apresentou deflação. O cimento é o único item que manteve-se estável no mês de agosto, com queda de -4,92% no ano.

As maiores altas foram: pedreiro (8,25%), servente (8,05%), vaso sanitário com descarga acoplada (4,34%), bloco cerâmico para alvenaria de vedação (4,08%), placa de gesso liso (3,64%), engenheiro (3,63%) e registro de pressão cromado (2,22%). As reduções de preço ficaram com os seguintes produtos: porta interna semi-oca (-4,88%), tinta látex PVA (-3,66), tubo de ferro galvanizado com costura (-3,04), telha fibrocimento ondulada (-2,78), areia média (-2,69) e placa cerâmica azulejo (-2,26).

O acordo coletivo dos trabalhadores da construção civil, sob a jurisdição do Sinduscon/MT, aconteceu em julho e a homologação no fim do mês de agosto. Ele estabeleceu uma recomposição linear com dois tipos de reajuste salarial: 10,5% sobre o piso salarial vigente e 8% para quem recebe acima do piso salarial. Para engenheiros, a convenção coletiva 2013 elevou o piso da categoria de R$ 3.732,00 para R$ 4.068,00 (jornada de 36 horas semanais) e de R$ 5.598,00 para R$ 6.102,00 (jornada de 44 horas semanais). Pela Lei Federal nº 4.950 de 22 de abril de 1966 o piso salarial do engenheiro no Brasil é fixado em seis salários mínimos.

Referência – O projeto-padrão representativo para o cálculo do CUB/m² em Mato Grosso é o R8-N (Residência Multifamiliar Padrão Normal), ou seja, um apartamento com três dormitórios, sendo um suíte, sala de estar e jantar, banheiro social, cozinha, área de serviço com banheiro e varanda

 

FONTE: Sinduscon/MT

Inscreva-se em nossa newsletter!

E receba promocões e novidades do mercado de ímovel no seu email

Central de Vendas
(65) 3627.5555
Assessoria de Imprensa
(65) 3056.7280
Locação
(65) 3056.7219